MENU

AVE MARIA

Ave-Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco Bendita sois vós entre as mulheres e Bendito é o Fruto do vosso ventre, Jesus Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós os pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

Menu Deslizante

Páginas

OLÁ!

http://img1.picmix.com/output/pic/original/1/8/8/9/3899881_962d3.gif


segunda-feira, 21 de abril de 2014

“O VERDADEIRO SANTUÁRIO DA CRUZ DE CRISTO”

Procurando um templo à altura das relíquias da Santa Cruz, Santa Helena cedeu o seu próprio palácio para ser transformado em Basílica.

Victor Toniolo.JPGVictor Hugo Toniolo

Se penetrássemos nas brumas da História e retornássemos ao longínquo ano de 270, encontraríamos numa hospedaria de Drepanum, na Bitínia, uma graciosa menina. Cheia de encanto e pudor, era o maior tesouro de seus pais.

BASILICA DE SANTA CRUZ JERUSALEM_1.jpg

  Basílica de Santa Cruz de Jerusalém

De tal modo suas virtudes resplandeciam, que o Imperador romano Constâncio Cloro, ao ver seu semblante, decidiu tomá-la por esposa. Desse modo, a jovem Helena tornouse imperatriz e deu à luz um filho, a quem chamou Constantino.
Na corte, conheceu a religião cristã e converteu-se. Seu Batismo contrariou muitíssimo o imperador, que a repudiou como esposa. Assim, Helena passou, de repente, de uma situação brilhante para uma existência envolta em sombras. Restava-lhe apenas o consolo do amor que seu filho por ela nutria.
Após alguns anos, porém, Constantino sucedeu a seu pai Constâncio no trono imperial. Encantado, como sempre, pelas virtudes de sua mãe, chamou-a imediatamente à corte, concedeu-lhe o título de Augusta e deu-lhe um suntuoso palácio, em Roma, o Sessorianum.
Como boa mãe, Santa Helena quis aproximar o filho da fé católica. Mas ele relutava, tomado por outras preocupações.
Contudo, Deus nunca deixa de ouvir as orações de uma mãe e, com o milagre de Ponte Milvio, Constantino abriu-se para a fé.
Após a proclamação do Edito de Milão - o qual, naturalmente, contou com o concurso de Santa Helena - ela obteve de seu filho uma ordem para a destruição dos templos pagãos que Adriano, muito tempo antes, havia mandado erigir sobre o Calvário e sobre o Santo Sepulcro, a fim de sufocar o culto cristão.
Seu coração, porém, queria mais. Helena não podia suportar o abandono dos Lugares Santos. Assim, tomada de santa coragem, empreendeu uma longa e perigosa viagem, com o intuito de resgatar a memória e as relíquias da Paixão de Cristo.

Santa Helena encontra a verdadeira Cruz

"Dirigindo-se ao Gólgota, os soldados que a acompanhavam viram aquela velha mulher, aquela velha mãe, caminhar entre os escombros, ajoelharse entre as ruínas, e dizer: ‘Eis o lugar da batalha: onde está a vitória? Eu estou sobre um trono, e a Cruz do Senhor no pó? Eu estou em meio ao ouro, e o triunfo de Cristo entre as ruínas? Vejo o que fizestes, demônio, para que fosse sepultada a espada que te derrotou'!"

Com estas palavras Santo Ambrósio relata a chegada de Santa Helena ao Calvário. Tal fé não poderia deixar de ser recompensada. Com efeito, guiada pela luz do Espírito Santo, a imperatriz encontrou a verdadeira Cruz do Salvador, bem como as outras relíquias da Paixão.
Conforme narra a tradição, ela ordenou que o Santo Lenho fosse dividido em três partes: deixou uma em Jerusalém, mandou outra para o filho em Constantinopla, e levou consigo a terceira para Roma, com diversas outras relíquias.

A Basílica Sessoriana

Chegando à Cidade Eterna, era necessário edificar um templo que estivesse à altura de custodiar tão santas e excelsas maravilhas. Santa Helena não titubeou, e cedeu para essa finalidade o seu próprio palácio - o Sessorianum - o qual tinha sido, em época anterior, residência dos imperadores.
Coordenando pessoalmente os trabalhos, fez com que a sala mais nobre do palácio fosse transformada numa basílica. Com santa generosidade, cedeu os seus próprios aposentos para serem transformados em capela, em cujo pavimento verteu a terra que havia trazido do Calvário, e onde depositou a relíquia da Cruz.
Tendo-se iniciado grande afluxo de peregrinos, o lugar começou a ser conhecido como Basílica Sanctae Crucis in Hierusalem (Basílica da Santa Cruz de Jerusalém), nome dado pelo fato de ali estar a relíquia da Cruz, bem como a terra do Calvário.
Os romanos, porém, insistiam em chamá-la "Basílica Sessoriana". Até hoje permanecem as duas denominações.

Ritos e documentos confirmam a tradição

A Capela das Relíquias, com o passar do tempo, passou a ser chamada "Capela de Santa Helena", pois ali tinham sido seus aposentos.
Existem vários documentos que comprovam a descoberta, transladação, conservação e veneração da relíquia da Santa Cruz. E cada fragmento dela retirado ao longo dos séculos foi devidamente registrado.
Também os diversos ritos de Adoração do Santo Lenho o atestam. Nos tempos antigos, o ritual pontifício estabelecia que as cerimônias da Sexta-Feira Santa se celebrassem na Basílica in Hierusalem. Para ela se dirigia em procissão o Papa
, descalço, desde a Basílica de São João de Latrão, acompanhado pelo clero e pelo povo, para adorar o Lenho da verdadeira Cruz. Também no dia 14 de setembro, Festa da Exaltação da Santa Cruz, ali se realizavam - e ainda se realizam - especiais ritos.

RELIQUIAS.JPG

Na Basílica de Santa Cruz de Jerusalém conservam-se, junto ao "lignum crucis"

(ao centro), um fragmento da coluna da flagelação, um dos cravos, um dedo de

São Tomé, um espinho da coroa e a tabuleta INRI

A Basílica Sessoriana na atualidade

Ao longo de seus 16 séculos de vida, a Basílica sofreu diversas transformações, tornando difícil hoje em dia imaginar como seria a estrutura da Domus Sessoriana. As próprias relíquias, por diversos motivos, foram transladadas para uma nova capela - o Santuário da Cruz - construída no recinto da sacristia.
Com o tempo, outras relíquias foram levadas para a Basílica Sessoriana: o Título da Cruz (tabuleta com uma parte da inscrição "Jesus Nazareno Rei dos Judeus"), um cravo, dois espinhos da coroa, o patíbulo do Bom Ladrão, um dedo de São Tomé, bem como fragmentos da Gruta de Belém e da Coluna da Flagelação.
Por tudo isso, quando o Papa João Paulo II a visitou, em 25 de março de 1979, exclamou: "Este é o verdadeiro Santuário da Cruz de Cristo!"

(Revista Arautos do Evangelho, Set/2006, n. 57, p. 24-25)

Fonte: http://www.acnsf.org.br/article/6392/-ldquo-O-verdadeiro-Santuario-da-Cruz-de-Cristo-rdquo---.html

DESEJO À VOCÊ!

Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém ...