MENU

AVE MARIA

Ave-Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco Bendita sois vós entre as mulheres e Bendito é o Fruto do vosso ventre, Jesus Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós os pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

Menu Deslizante

Páginas

OLÁ!

http://img1.picmix.com/output/pic/original/1/8/8/9/3899881_962d3.gif


quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

SIFNIFICADO DO OFÍCIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO

Ofício Imaculada Conceição

Conheça o significado das invocações a Virgem Maria no tradicional Ofício da Imaculada Conceição.
O Ofício da Imaculada Conceição é uma oração popular, que se tornou muito conhecida no Brasil, que tem simbologias e significados muito profundos, que nos remetem à fé mariana das origens da Igreja Católica. Sendo assim, vale muito à pena conhecer o Ofício e o significado de suas principais invocações, que nos faz voltar a mente e o coração às Sagradas Escrituras e à Tradição da Igreja.
Conheça o significado das invocações a Virgem Maria no tradicional Ofício da Imaculada Conceição.


A Imaculada Conceição de Giovanni Battista Tiepolo
Para facilitar a consulta, trazemos primeiramente o texto do Ofício da Imaculada Conceição e, juntamente com os títulos da Virgem Maria, temos o link para notas de rodapé com os respectivos significados.

Ofício da Imaculada Conceição
Deus vos salve, Virgem, Filha de Deus Pai!
Deus vos salve, Virgem, Mãe de Deus Filho!
Deus vos salve, Virgem, Esposa do Espírito Santo!
Deus vos salve, Virgem, Sacrário da Santíssima Trindade[1]!

Matinas (3:00)
Agora, lábios meus[2], dizei e anunciai os grandes louvores da Virgem, Mãe de Deus.
Sede em meu favor, Virgem soberana, livrai-me do inimigo com vosso valor.
Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Amor também, que é um só Deus, em Pessoas três, agora e sempre e sem fim. Amém!

Hino
Deus vos salve, Virgem, Senhora do mundo[3], Rainha dos céus e das virgens, Virgem[4].
Estrela da manhã[5], Deus vos salve cheia de graça divina[6], formosa e louçã.
Dai pressa, Senhora, em favor do mundo, pois vos reconhece como defensora.
Deus vos nomeou, desde a eternidade[7], para a Mãe do Verbo com o qual criou.
Terra, mar e céus e vos escolheu quando Adão pecou, por esposa de Deus[8].
Deus a escolheu e, já muito antes, em Seu tabernáculo morada lhe deu[9].
Ouvi, Mãe de Deus, minha oração. Toquem vosso peito, os clamores meus.

Oração: Santa Maria, Rainha dos Céus, Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais e nem desprezais, ponde, Senhora, em mim, os olhos de vossa piedade e alcançai de vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados, para que eu, que agora venero com devoção vossa Santa e Imaculada Conceição, mereça na outra vida alcançar o prêmio da bem-aventurança, pelo merecimento de vosso benditíssimo Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre. Amém.

Prima (6:00)
Sede em meu favor, Virgem soberana, livrai-me do inimigo com vosso valor.
Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Amor também, que é um só Deus, em Pessoas três, agora e sempre e sem fim. Amém.

Hino
Deus vos salve, mesa para Deus ornada, coluna sagrada de grande firmeza[10].
Casa dedicada a Deus sempiterno. Sempre preservada, Virgem, do pecado[11].
Antes que nascida foste, Virgem, santa no ventre ditoso de Ana concebida[12].
Sois mãe criadora dos mortais viventes[13]. Sois dos santos porta[14], dos anjos, Senhora[15].
Sois forte esquadrão contra o inimigo[16]. Estrela de Jacó[17], refúgio do cristão.
A Virgem criou Deus no Espírito Santo, e todas as suas obras com ela as ornou.
Ouvi, Mãe de Deus, minha oração. Toquem vosso peito, os clamores meus.

Oração: Santa Maria, Rainha dos Céus, Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais e nem desprezais, ponde, Senhora, em mim, os olhos de vossa piedade e alcançai de vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados, para que eu, que agora venero com devoção vossa Santa e Imaculada Conceição, mereça na outra vida alcançar o prêmio da bem-aventurança, pelo merecimento de vosso benditíssimo Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre. Amém.

Terça (9:00)
Sede em meu favor, Virgem soberana, livrai-me do inimigo com vosso valor.
Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Amor também, que é um só Deus, em Pessoas três, agora e sempre e sem fim. Amém.

Hino
Deus vos salve, trono do grão Salomão[18], arca do concerto[19], velo de Gedeão[20]!
Íris do céu clara[21], sarça da visão[22], favo de Sansão[23], florescente vara[24].
A qual escolheu para ser mãe sua, e de vós nasceu o Filho de Deus.
Assim vos livrou da culpa original, de nenhum pecado há em vós sinal.
Vós que habitais lá nas alturas e tendes vosso trono sobre as nuvens puras.
Ouvi, Mãe de Deus, minha oração. Toquem vosso peito, os clamores meus.

Oração: Santa Maria, Rainha dos Céus, Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais e nem desprezais, ponde, Senhora, em mim, os olhos de vossa piedade e alcançai de vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados, para que eu, que agora venero com devoção vossa Santa e Imaculada Conceição, mereça na outra vida alcançar o prêmio da bem-aventurança, pelo merecimento de vosso benditíssimo Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre. Amém
.
Sexta (12:00)
Sede em meu favor, Virgem soberana, livrai-me do inimigo com vosso valor.
Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Amor também, que é um só Deus, em Pessoas três, agora e sempre e sem fim. Amém.

Hino
Deus vos salve, Virgem da Trindade templo[25], alegria dos anjos[26], da pureza exemplo.
Que alegrais os tristes com vossa clemência, horto de deleites[27], palma de paciência[28].
Sois terra bendita e sacerdotal[29]. Sois da castidade, símbolo real.
Cidade do Altíssimo[30], porta oriental[31], sois a mesma graça, Virgem singular.
Qual lírio cheiroso entre espinhas duras[32], tal sois vós, Senhora, entre as criaturas.
Ouvi, Mãe de Deus, minha oração. Toquem vosso peito, os clamores meus.

Oração: Santa Maria, Rainha dos Céus, Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais e nem desprezais, ponde, Senhora, em mim, os olhos de vossa piedade e alcançai de vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados, para que eu, que agora venero com devoção vossa Santa e Imaculada Conceição, mereça na outra vida alcançar o prêmio da bem-aventurança, pelo merecimento de vosso benditíssimo Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre. Amém.

Noa (15:00)
Sede em meu favor, Virgem soberana, livrai-me do inimigo com vosso valor.
Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Amor também, que é um só Deus, em Pessoas três, agora e sempre e sem fim. Amém.

Hino
Deus vos salve, cidade de torres guarnecida, de Davi, com armas bem fortalecida[33].
De suma caridade sempre abrasada. Do dragão, a força foi por vós prostrada[34].
Ó mulher tão forte[35]! Ó invicta Judite[36]! Que vós alentastes o sumo Davi[37]!
Do Egito, o curador, de Raquel nasceu, do mundo, o Salvador Maria no-lo deu[38].
Toda é formosa minha companheira, nela não há mácula da culpa primeira[39].
Ouvi, Mãe de Deus, minha oração. Toquem vosso peito, os clamores meus.

Oração: Santa Maria, Rainha dos Céus, Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais e nem desprezais, ponde, Senhora, em mim, os olhos de vossa piedade e alcançai de vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados, para que eu, que agora venero com devoção vossa Santa e Imaculada Conceição, mereça na outra vida alcançar o prêmio da bem-aventurança, pelo merecimento de vosso benditíssimo Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre. Amém.

Vésperas (18:00)
Sede em meu favor, Virgem soberana, livrai-me do inimigo com vosso valor.
Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Amor também, que é um só Deus, em Pessoas três, agora e sempre e sem fim. Amém.

Hino
Deus vos salve relógio que, andando atrasado, serviu de sinal ao Verbo encarnado[40].
Para que o homem suba às sumas alturas, desce Deus do céu para as criaturas.
Com raios claros do Sol de Justiça, resplandece a Virgem dando ao sol cobiça[41].
Sois lírio formoso, que cheiro respira entre os espinhos. Da serpente, a ira
Vós aquebrantais com vosso poder. Os cegos errados vós alumiais[42].
Fizestes nascer Sol tão fecundo, e como com nuvens, cobristes o mundo[43].
Ouvi, Mãe de Deus, minha oração. Toquem vosso peito, os clamores meus.

Oração: Santa Maria, Rainha dos Céus, Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais e nem desprezais, ponde, Senhora, em mim, os olhos de vossa piedade e alcançai de vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados, para que eu, que agora venero com devoção vossa Santa e Imaculada Conceição, mereça na outra vida alcançar o prêmio da bem-aventurança, pelo merecimento de vosso benditíssimo Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre. Amém.

Completas (21:00)
Rogai a Deus, vós, Virgem, nos converta. Que a sua ira aparte de nós.
Sede em meu favor, Virgem soberana, livrai-me do inimigo com vosso valor.
Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Amor também, que é um só Deus, em Pessoas três, agora e sempre e sem fim. Amém.

Hino
Deus vos salve, Virgem, Mãe imaculada, Rainha de clemência de estrelas coroada[44].
Vós, sobre os anjos, sois purificada[45], de Deus, à mão direita, estais de ouro ornada[46].
Por vós, Mãe da graça, mereçamos ver a Deus nas alturas com todo prazer.
Pois sois esperança dos pobres errantes, e seguro porto dos navegantes[47].
Estrela do mar[48] e saúde certa[49], e porta que estais para o céu aberta[50].
É óleo derramado[51], Virgem, vosso nome, e os servos vossos vos hão sempre amado.
Ouvi, Mãe de Deus, minha oração. Toquem vosso peito, os clamores meus.

Oração: Santa Maria, Rainha dos Céus, Mãe de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhora do mundo, que a nenhum pecador desamparais e nem desprezais, ponde, Senhora, em mim, os olhos de vossa piedade e alcançai de vosso amado Filho o perdão de todos os meus pecados, para que eu, que agora venero com devoção vossa Santa e Imaculada Conceição, mereça na outra vida alcançar o prêmio da bem-aventurança, pelo merecimento de vosso benditíssimo Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que com o Pai e o Espírito Santo, vive e reina para sempre. Amém.

Oferecimento:
Humildes, oferecemos a vós, Virgem pia, estas orações, porque em nossa guia, vades vós diante e, na agonia, vós nos animeis, ó doce Maria! Amém!

Oremos: Suplicantes vos rogamos, Senhor Deus, que concedais a vossos servos lograr perpétua saúde do corpo e da alma e que, pela intercessão gloriosa da bem-aventurada sempre Virgem Maria, sejamos livres da presente tristeza e gozemos da eterna alegria por Cristo nosso Senhor. Amém.

Links relacionados:

TODO DE MARIA. O programa Ofício da Imaculada Conceição.

TODO DE MARIA. Rezemos o Ofício da Imaculada Conceição.

Referências:

CATEQUESE CRISTÃ CATÓLICA. Ofício da Imaculada Conceição.

CLÉOFAS. Para entender o Ofício da Imaculada.

CANÇÃO NOVA FORMAÇÃO. A verdadeira devoção a Nossa Senhora dos Navegantes.

JOHN HENRY NEWMAN. Meditações e orações.

VAS HONORABILE. A Profundidade Teológica Do Ofício Da Imaculada Conceição.



Significado dos nomes e invocações a Virgem Maria no Ofício da Imaculada Conceição:
[1]  A Constituição Dogmática Lumen Gentium ensina que a Virgem Maria: “Remida dum modo mais sublime, em atenção aos méritos de seu Filho, e unida a Ele por um vínculo estreito e indissolúvel, foi enriquecida com a excelsa missão e dignidade de Mãe de Deus Filho; é, por isso, filha predileta do Pai e templo do Espírito Santo” (LG 53).

[2] Agora: a palavra “agora” no Ofício da Imaculada não é um simples advérbio de tempo, mas uma expressão de ação de graças, de comemoração pelos favores recebidos, de gratidão e de carinho para com a Virgem Imaculada. O entusiasmo do velho Simeão exemplifica bem este sentimento de gratidão, quando recebeu nos braços o Menino Jesus: “Agora, Senhor, deixai o vosso servo ir em paz, segundo a vossa palavra” (Lc 2, 29).

[3] Senhora do mundo: no livro do Êxodo, Maria, irmã de Moisés, guiou as mulheres no caminho para a terra prometida (cf. Ex 15, 20-21). Esta mulher era figura da Virgem de Nazaré, que também se chamava Maria. Ela é nossa mestra e senhora, que nos guia para o Reino dos Céus. A Virgem Maria é Mãe de Deus, de Jesus Cristo, nosso Senhor, por isso, ela é chamada de Senhora do mundo. São Bernardino de Sena disse que “a soberania da Mãe de Deus não tem limites nem no céu nem na terra. […] Todos os seres, sem exceção alguma, estão sob o domínio divino, e pela mesma razão, sob o domínio de Maria”.

[4] Virgem das Virgens: Maria Santíssima recebe o título de virgem das Virgens devido à herança da tradição  judaica, segundo a qual, na ausência de superlativos, usava-se dessa forma para expressar a excelência de Maria, a mais santa de todas as virgens.

[5] Estrela da Manhã: Nossa Senhora é chamada de “Estrela da Manhã” porque ela precedeu Jesus Cristo, o “Sol da Justiça” (Ml 3, 20). Na sua Imaculada Conceição já brilhava a luz do Senhor, que é a “Luz do mundo” (Jo 8, 12; 9, 5).

[6] Cheia de graça divina: a expressão “cheia de graça divina” nos recorda as primeiras palavras do Arcanjo São Gabriel no mistério da Anunciação da encarnação do Verbo de Deus:  “Ave cheia de graça, o Senhor é contigo” (Lc 1, 28).

[7] Escolhida desde a eternidade: A Encarnação do Verbo foi decretada por Deus desde toda eternidade e, neste decreto divino, já escolheu a Virgem Maria para ser a Mãe do Filho de Deus.

[8] Esposa de Deus: o livro do Gênesis, logo depois da maldição de Deus sobre a serpente, profetiza-se a respeito da Mulher e da sua descendência, que lhe esmagaria a cabeça: “Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela” (Gn 3, 15). Com razão podemos chamar de Esposa de Deus à Mulher que foi escolhida pelo Altíssimo para gerar o Filho de Deus encarnado (cf. Lc 1, 26-38).

[9] Casa de Deus: A casa da Virgem de Nazaré foi a casa de Deus neste mundo. Por isso, nada mais justo que, depois da sua Assunção aos Céus, o Senhor acolhesse Maria Santíssima em seu tabernáculo eterno.

[10] Mesa para Deus ornada: A Virgem Maria é a mesa que foi esplendidamente preparada para a vinda do Filho de Deus ao mundo. Ela é também a coluna sagrada que sustenta a nossa fé nas tribulações deste mundo.

[11] Casa dedicada: Nossa Senhora é a casa de Deus; seu ventre virginal foi o primeiro sacrário da Terra. Este lugar santo não conheceu nem a mínima mancha de pecado.

[12] Santa desde o ventre: A Virgem de Nazaré foi concebida, no seio de Ana, sua mãe, sem a mancha do pecado original.

[13] Mãe criadora: Maria Santíssima é Mãe criadora porque, enquanto Eva é a mãe dos viventes na ordem da natureza (cf. Gn 3, 20), a Mãe de Deus é nossa Mãe na ordem da graça, pois gera Jesus Cristo em nós e nós em Jesus Cristo (cf. LG 61).

[14] Dos santos porta: Se pelo ventre da Virgem Maria nos veio o Salvador, por ela receberemos os dons da graça celeste e se abrirá para nós a feliz porta do Céu.

[15] Dos anjos Senhora: Quando o Arcanjo São Gabriel saudou a Virgem Maria (cf. Lc 1, 26), o que é inédito na história da salvação, verificamos que ela é maior do que os anjos na plenitude da graça e na intimidade com Deus.

[16] Forte esquadrão contra o inimigo: A Virgem Maria deixa extasiados os anjos e aterrorizados os demônios: “Quem é esta que surge como a aurora, bela como a lua, brilhante como o sol, temível como um exército em ordem de batalha?” (Ct 6, 10).
[17] Estrela de Jacó: Balaão profetiza que uma estrela sairia de Jacó, do povo de Israel sairia Aquele que venceria os inimigos (cf. Nm 24, 17). A estrela de Jacó é a imagem da Santíssima Virgem, que nos deu o Salvador do mundo.

[18] Trono de Salomão: O rei Salomão mandou fazer para si um trono esplendoroso, feito de marfim e todo revestido de ouro (cf. 1 Rs 16, 20). Do mesmo modo, Aquele que á maior do que Salomão (cf. Mt 12, 42), preparou para si um Trono, mais e belo e nobre, revestidos de todas as graças, que é a Santíssima Virgem.

[19] Arca do Concerto: também chamada de Arca da Aliança, lugar de encontro entre Deus e seu povo, continha: as tábuas da Lei; o maná, que alimentou o povo hebreu no deserto; e a vara de Aarão, que floresceu milagrosamente. Maria é a nova Arca da Aliança, onde Deus se manifestou ao homem. Jesus é o novo Moisés, que nos deu: a nova Lei (cf. Mt 5, 17-48); e o novo maná, que é a Eucaristia, nosso alimento no deserto desta vida. A vara de Aarão simboliza a Virgem Santíssima que, sem ter conhecido homem (cf. Lc 1, 34), gerou, pela força do Espírito Santo, o Filho de Deus (cf. Lc 1, 35).

[20] Velo de Gedeão: Velo é o couro do carneiro com a lã e Gedeão foi o juiz de Israel que obteve de Deus um duplo sinal: o velo passou a noite ao relento e amanheceu todo molhado, enquanto a terra permaneceu seca. Noutra noite, o velo ficou seco, enquanto a terra ficou molhada (cf. Jz 6, 36-40). O orvalho que desceu sobre o velo e depois sobre toda a terra, simboliza a plenitude da graça recebida pela Virgem Maria (cf. Lc 1, 28), que depois foi concedida aos seus servos e filhos.

[21] Íris do céu clara: O arco-íris é um sinal da Aliança entre Deus e os homens, concedido depois do dilúvio (cf. Gn 9, 13). A Virgem Maria é o sinal da nova Aliança, do próprio Deus, que veio ao mundo para nos salvar das águas tempestuosas da história humana.

[22] Sarça da visão: Deus se manifestou a Moisés numa sarça, que queimava sem se consumir (cf. Ex 3, 1-6), para que ele libertasse o povo de Israel da escravidão do Egito. A Mãe de Deus está simbolizada nesta sarça, pois, sem perder a virgindade, deu à luz Aquele que veio libertar o novo podo de Deus da escravidão do pecado e conduzi-lo para a terra prometida, para a Jerusalém celeste.

[23] Favo de Sansão: cheio do Espírito do Senhor, Sansão matou um leão e, depois de alguns dias, foi ver o seu cadáver. Para sua surpresa, na sua boca havia abelhas e mel em favos (cf. Jz 14, 6-8). Esta passagem diz respeito a Nossa Senhora, que no meio da humanidade morta por causa do pecado, aparece com toda a sua doçura.

[24] Florescente vara: A encarnação do Verbo no seio da Virgem Maria é o cumprimento da profecia: “Um ramo sairá do tronco de Jessé, e um rebento brotará de suas raízes” (Is 11, 1). A Mãe de Deus é o ramo que floresce, que da à luz o bendito fruto de seu ventre (cf. Lc 1, 42), nosso Senhor Jesus Cristo.

[25] Templo da Trindade: Santíssima Virgem é o “templo” não construído por mãos humanas, onde o próprio Deus veio habitar (cf. At 17, 24). Em Maria se cumpriu por antecipação a promessa de Jesus: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra e meu Pai o amará, e nós viremos a ele e nele faremos nossa morada” (Jo 14, 23).

[26] Alegria dos anjos: a Santíssima Virgem é chamada de “alegria dos anjos”, pois alegrou o anjo Gabriel, na Anunciação da Encarnação do Verbo, com o seu sim à vontade de Deus (cf. Lc 1, 38); alegrou também o anjo encarregado de anunciar o nascimento do Menino Jesus, que acabara de nascer de seu ventre virginal, aos pastores que estavam nos arredores da gruta em Belém (cf. Lc 2, 8-12);  este anjo juntou-se a uma multidão do exército celeste, que louvava a Deus e dizia com grande alegria: “Glória a Deus no mais alto dos céus e na terra paz aos homens, objetos da benevolência (divina)” (Lc 2, 14).

[27] Horto de deleites: o Horto, ou jardim, do Éden, que significa delícia, tinha uma terra virgem, que produzia, sem intervenção do homem, os mais deliciosos frutos e a mais linda vegetação. Este jardim era irrigado por uma fonte abundantíssima, que fertilizava a terra. Este jardim das delícias é o perfeito símbolo de Maria, a Virgem que também é Mãe. Sua fecundidade vem da fonte de Água Viva, que é o Espírito Santo. São João Damasceno diz a respeito da Santíssima Virgem: “Tu és o Horto espiritual, mais santo e mais divino que o antigo, pois este foi a morada de Adão e tu foste o paraíso daquele que desceu do céu para habitar em ti”.

[28] Palma de paciência: Nossa Senhora á digna de receber o título de “palma de paciência”, pois ela suportou pacientemente as provações, as angústias, os sofrimentos que a missão de Mãe do Redentor lhe exigiu. Depois de uma vida austera, toda dedicada ao Filho, restava-lhe ainda a mais difícil dos tormentos. A Virgem das Dores permaneceu de pé junto à cruz do seu Filho (cf. Jo 19, 25), fruto de suas entranhas, sem que a espada da dor lhe fizesse desfalecer (cf. Lc 2, 35). A Mãe de Deus merece ser compara à figura da palma da vitória, pois permaneceu unida até o fim ao Filho de Deus, que entregando sua vida, venceu a morte.

[29] Terra bendita e sacerdotal: por causa do pecado de Eva e Adão, a terra foi maldita e passou a produzir espinhos e abrolhos (cf. Gn 3, 17-18). Ao contrário, a Virgem Maria é a “terra bendita” que produziu o Fruto igualmente bendito: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre” (Lc 1, 42). Nossa Senhora é comparada àquela terra prometida ao Povo de Deus, terra santa, onde jorra leite e mel (cf. Êx 3, 8). Ela é também uma “terra sacerdotal”, porque deu à luz Jesus Cristo, Sumo e Eterno Sacerdote (cf. Hb 9, 11).

[30] Cidade do Altíssimo: a Mãe de Jesus é comparada à Cidade Santa, com a qual o Senhor fez uma Aliança de amor (cf. Is 61, 10), à Jerusalém, que desceu do céu, de junto de Deus, revestida da Sua glória (cf. Ap 21, 10-11).

[31] Porta oriental: o profeta Ezequiel disse que o príncipe deveria entrar através da porta oriental do Templo de Jerusalém, para que depois os sacerdotes oferecessem sacrifícios e o povo se prostrasse diante do Senhor (cf. Ez 46, 1-3). A Virgem Maria é comparada a esta, pois ela é a porta pela qual o Filho do Altíssimo (cf. Lc 1, 32), o Príncipe da paz (cf. Is 9, 5), entrou no mundo. Como Deus não muda o seu modo de proceder (cf. TVD 15), a Virgem Maria foi a porta pela qual o Filho de Deus veio ao mundo na primeira vez e será também por ela que Ele voltará na segunda vez (cf. TVD 13).

[32] Lírio cheiroso entre espinhas duras: “Como o lírio entre os espinhos, assim é minha amiga entre as jovens” (Ct 2, 2). Comentando esta passagem, no seu livro “Glórias de Maria”, Santo Afonso Maria de Ligório imagina Deus dirigindo-se a Virgem Maria com estas palavras: “Filha por excelência entre o resto das minhas filhas, sois como o lírio entre os espinhos, pois todas as outras foram manchadas pelo pecado, e só vós fostes sempre imaculada e sempre minha amiga”. Outra comparação igualmente profunda faz Santa Brígida: “assim como a rosa cresce entre os espinhos, assim cresceu Maria entre os sofrimentos”. Estes espinhos são também os nossos pecados, as blasfêmias e ingratidões para com seu Imaculado Coração. Voltando à passagem do Cântico dos Cânticos, o lírio é uma flor que transmite tranquilidade pelo seu aspecto, símbolo da pureza pela sua nitidez, da beleza pelos seus contornos, do encanto pela sua fragrância. Dentre as flores, o lírio é a que mais e melhor podemos comparar a Nossa Senhora, pois além de tudo que dissemos, ela tem o poder de curar.

[33] Torre de Davi: este nome atribuído a Nossa Senhora está relacionado a uma das muitas torres de guarda que Davi mandou construir nas muralhas de Jerusalém (cf. 2 Sm 5, 9; Ct 4, 4). Maria Santíssima é como que uma fortaleza, que contém as defesas contra os inimigos e o arsenal de armas para o combate. A Mãe de Deus é uma torre tão bem edificada, que São Tomás de Villanova assim a descreve: “Ocupando lhe a praça forte, o próprio Deus não podia este sem grande cuidado, permitir ao demônio que dela se apoderasse, nem um instante sequer. Para isso, teve que comunicar-lhe um poder inquebrantável, transformando-a numa verdadeira fortaleza davídica”.

[34] A Mulher e o Dragão: depois do pecado de Eva e Adão, Deus amaldiçoou a serpente e anunciou que a descendência da Mulher lhe esmagaria a cabeça (cf. Gn 3, 15). A Virgem Maria deu à luz o Salvador do mundo, que foi o início da vitória do Bem sobre o Mal. No livro do Apocalipse, o mal se apresenta sob a forma de um grande Dragão vermelho (cf. Ap 12, 3). Estas duas passagens bíblicas representam duas grandes seduções, ou dois grandes ataques do demônio, contra a mulher: a astúcia da serpente, que quer que a inteligência contemplativa de Eva seja apenas uma inteligência eficaz, conhecedora de tudo, a ponto de querer ser como Deus; e a oposição feroz do dragão contra a mulher, para que ela deixe de ser fonte de vida (cf. Ap 12, 4). A diferença entre esses dois ataques de Satanás  é que, diferentemente da sua antecessora, na grande visão do Apocalipse, a mulher não cai na armadilha. Ajudada por Deus, ela recebe “duas asas de grande águia e voa para o deserto”, onde Deus lhe preparou um refúgio (cf. Ap 12, 14). O demônio, “cheio de grande ira” (Ap 12, 12), ataca a fecundidade biológica, segundo a carne e o sangue, e também contra a fecundidade espiritual. O Dragão tenta, de todos os modos, acabar com essa dupla fecundidade. Mas, Deus não desampara a mulher, que deve ser fonte de vida e guardiã da vida. Esse socorro divino são as duas asas da grande águia (cf. Ap 12, 14), que segundo os Padres da Igreja, são a adoração e a contemplação. Se a mulher – que representa toda a humanidade – continuar a adorar e contemplar a Verdade (cf. Jo 14, 6), a exemplo da Virgem Maria, ela não cairá na armadilha do dragão.

[35] Mulher forte: O livro dos Provérbios elogia a perfeita dona de casa, que se mostra solícita, corajosa e operante em tudo que faz (cf. Pr 31, 10-31). Em todos os tempos, inclusive hoje, houve mulheres exemplares, que viveram esse ideal de doação total. No entanto, entre todas as mulheres, a Mãe de Deus destaca-se pela fortaleza de ânimo e pela solicitude materna ao cumprir sua missão no lar e na sociedade.

[36] Invicta Judite: o Livro de Judite, à semelhança do livro de Ester, é uma história de libertação do povo por uma heroína (cf. Jd 8,4-8; 15,8-10). Holofernes foi enviado juntamente com 132 mil homens, por Nabucodonosor, rei da Assíria, para invadir a Ásia ocidental (cf. Jt 2, 7). Na cidade de Betúlia, Judite seduziu o general inimigo, depois de o embriagar, e cortou-lhe a cabeça (cf. Jt 13, 10). Judite é figura de Nossa Senhora, que nos liberta da escravidão de Satanás. Por isso, a Igreja exalta a Virgem Maria com as mesmas palavras com que os hebreus festejaram o triunfo de Judite, que corajosamente arriscou sua vida e cortou a cabeça do general Holofernes e salvou seu povo: “Tu és a glória de Jerusalém, és a alegria de Israel, a honra de nosso povo!” (Jt 15, 10).

[37] Alentastes o sumo Davi: Nos seus últimos dias, o rei Davi mandou que seus servos procurassem uma jovem esposa, para que cuidasse dele. Procuraram em todo reino de Israel e trouxeram-lhe uma jovem belíssima, chamada Abisag de Sunan, que o serviu e se tornou sua esposa, mas permaneceu virgem (1 Rs 1,1-4). Jesus Cristo realizou as esperanças que o povo de Deus colocava em Davi. Por isso, Ele foi reconhecido como um novo Davi, um Filho de Davi. A seu lado, Maria Santíssima, à semelhança de Abisag, tornou-se a esposa virginal de Deus.

[38] Raquel e Maria: durante os sete anos de fome no Egito, o salvador foi José, que nasceu de Raquel, esposa predileta de Jacó (cf. Gn 30, 22-24). Raquel é figura de Maria, a preferida de Deus, que foi predestinada para ser Mãe de Jesus Cristo, o Salvador do mundo.

[39] Formosa e sem mancha: para o homem que ama ternamente sua esposa, ela é toda bela e sem defeito, diz o amado à sua amada  (cf. Ct 4,7). Esses atributos se aplicam a Maria Santíssima num grau eminente, pois ela jamais teve qualquer mancha de pecado e foi agraciada abundantemente nas virtudes.

[40] Relógio atrasado: a passagem bíblica a respeito deste “relógio atrasado” é a da cura obtida pelo rei Ezequias, por intervenção de Isaías. Este anunciou ao Rei que ficaria curado, mas ele não quis acreditar sem antes ver um sinal do Céu, que confirmasse as palavras do Profeta. Então, Isaías disse que a sombra do sol no relógio solar de Acaz atrasaria dez graus, como se as horas do dia voltassem (cf. 2 Rs 20, 8-11; Is 38, 7-8). Para entendermos a semelhança entre essa passagem do relógio e Nossa Senhora, vejamos a estrofe seguinte do Ofício: “Para que o homem suba às sumas alturas, desce Deus dos céus para as criaturas”. Esta diz respeito ao Verbo de Deus, que se humilhou, tomando a forma de escravo (cf. Fl 2, 7), no mistério da Encarnação no seio da Virgem Maria. O sol que retrocede representa o Filho de Deus, que se rebaixa, fazendo-se homem. Em vista disso, a Mãe de Deus é comparada ao relógio, no qual se realiza essa aniquilação do Sol divino. Outra analogia que se faz a respeito do “relógio atrasado” é que a Concepção Imaculada da Virgem de Nazaré o sinal da Redenção, nela impresso antecipadamente, em virtude dos méritos da Paixão, Morte e Ressurreição de seu Filho Jesus Cristo. As sombras do pecado original como que recuaram para dar passagem a Mãe do Verbo, a essa alma predestinada, que devia irradiar ao mundo o Sol da Justiça (cf. Ml 3, 20), Jesus Cristo, Salvador da humanidade.

[41] Sol da Justiça: São João Damasceno refere-se ao mistério de Maria como Fonte de Luz. Ela é a Janela do Céu pela qual o Pai derramou sua Luz, ensinava São Fulgêncio. Nossa Senhora é Mãe da Luz que ilumina os próprios Serafins, que ilumina os últimos confins da terra. Ela é Mãe da Luz que disse: “Eu sou a luz do mundo” (Jo 8, 12); da luz que iluminou todas as coisas que estão no Céu e na Terra, dizia Santo Epifânio. Deus prometeu a nós através do profeta Malaquias: “Para vós que temeis o meu Nome brilhará o Sol da Justiça” (Ml 3, 20). Esse Sol é Jesus Cristo, o Salvador, que faz sua Mãe Santíssima resplandecer com sua Luz.  Por isso São João viu Maria no Apocalipse como “uma mulher vestida com o sol” (Ap 12,1).

[42] Os cegos errados vós alumiais: por vezes, tornamo-nos cegos pelas ilusões do mundo e, em consequência, erramos o caminho. Para nos orientar em nossa peregrinação, a Virgem Maria indica Aquele que é o “Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14, 6), e ordena a nós, como fez nas Bodas de Caná: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2, 5).

[43] Como com nuvens, cobristes o mundo: A frase do livro do Eclesiástico (cf. Eclo 24, 6), aplicada a Mãe de Deus, exprime o que disseram os Bispos, em Puebla, a seu respeito: “Maria não vale apenas pela Igreja. Tem um coração tão grande quanto o mundo e intercede ante o Senhor da história por todos os povos. Isto bem registra a fé popular, que põe nas mãos de Maria, como Rainha e Mãe, o destino de nossas nações” (Puebla, 289).

[44] Rainha de estrelas coroada: “Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol, a lua debaixo dos seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas” (Ap 12, 1). A Liturgia aplica esse texto à Assunção da Mãe de Deus, na qual “se nos manifestam o sentido e o destino do corpo santificado pela graça. No corpo glorioso de Maria começa a criação material a ter parte no corpo ressuscitado de Cristo. Maria, arrebatada ao céu, é a integridade humana, corpo e alma, que agora reina intercedendo pelos homens, peregrinos na história” (Puebla, 298). A Virgem Maria é coroada pela Santíssima Trindade como Rainha do Céu e da Terra, por isso celebramos a festa de Nossa Senhora Rainha no dia 22 de Agosto, sete dias depois da solenidade da sua Assunção.

[45] Sobre os anjos sois purificada: a Virgem Maria é a criatura mais sublime, mais pura do que os anjos. Nossa Senhora é a Rainha dos Anjos, que a veneram e admiram num louvor permanente.


[46] Estais de ouro ornada: o Salmo 44, composto para celebrar as núpcias do rei, descreve o cortejo formado pelas princesas que conduzem os monarcas. A rainha, que traja vestes douradas e está à direita do rei, (v. 10) simboliza a Virgem Maria que, “ao lado do Rei dos séculos, resplandece como Rainha e intercede como Mãe” (Marialis Cultus, 6).

[47] Seguro porto aos navegantes: Na idade Média, antes das grandes viagens, os navegantes participavam da Santa Missa, na qual pediam proteção de Nossa Senhora dos Navegantes, para enfrentar, com coragem, os perigos do mar, as tempestades e os ataques dos piratas. Os marinheiros pediam também a chegada a um porto seguro ao final de suas viagens.

[48] Estrela do Mar: a respeito deste título de Nossa Senhora, Santo Tomás de Aquino dizia que: “Assim como por meio da estrela do mar os navegantes são orientados para o porto, assim os cristãos por meio de Maria são conduzidos para a glória”. Este título diz respeito ao significado do nome Maria: Senhora do mar. O mar nos recorda: a distância do Porto seguro de nossa salvação, que é Jesus Cristo; as vaidades, que crescem e se desmancham como as ondas; o tédio, que muitas vezes cansa e desanima, como as calmarias; as tentações, que sacodem e abalam, como os ventos fortes. Nossa Senhora é a Estrela do Mar porque, quando aparece, tranquiliza nossa saudade, acalma as ondas revoltas do mar da nossa história, conforta o nosso viver com a suavidade do seu carinho materno, diminui as tentações e acalma as tempestades interiores e exteriores.

[49] Saúde certa: a palavra saúde deriva do latim: salus (salutis), que significa salvação, conservação da vida, cura, bem-estar.  Nossa Senhora, Mãe de Cristo, o Salvador dos homens, e Mãe dos fiéis, socorre com muito amor seus filhos aflitos em suas necessidades. Por isso, frequentemente os enfermos recorrem a ela, vão muitas vezes aos seus santuários, para obter saúde por sua intercessão. No entanto, muito mais do que nosso bem estar físico, material, a Virgem Maria quer nosso bem estar espiritual e a nossa salvação eterna. Por isso, o título de “saúde certa” está em plena sintonia com a missão da Virgem Maria, que é levar-nos a Jesus Cristo, nosso Salvador.

[50] Porta para o Céu aberta: “Por Maria foi aberta para todos a porta do paraíso, a qual por meio de Eva tinha sido fechada” (Liturgia das Horas). As portas do Paraíso foram fechadas por causa do pecado da Virgem Eva e de Adão. Mas, por meio da Virgem Maria veio ao mundo Jesus Cristo, o novo Adão, que abriu-nos muitos mais do que a porta do Paraíso terrestre, abriu para nós a porta do Paraíso celeste, do Reino dos Céus. Podemos chamar a Mãe de Deus de “Porta do Céu”, pois foi por ela que a Salvação entrou no mundo, concedendo-nos muito mais do que havíamos perdido.

[51] Óleo derramado: “Teu nome é como um óleo escorrendo” (Ct 1, 2). Desde a antiguidade, o óleo era conhecido por suas propriedades: alimentar, curar, fortalecer, perfumar. Da mesma forma, se invocamos o nome de Maria com confiança, experimentamos em nossas vidas que “a devoção à virgem Santíssima é um auxílio poderoso para o homem em marcha para a conquista da sua própria plenitude” (Marialis Cultus, 57). Nossa Senhora é o óleo que Jesus Cristo, o Bom Samaritano, derrama em nossas feridas. O óleo apaga o fogo na pedra e o alimenta na madeira. A Mãe de Deus procede do mesmo modo com nosso coração que, quando é feito uma pedra pelo fogo das paixões, sentimos que se apaga esse fogo com o nome de Maria Santíssima; e quando arde no amor divino, sentimos crescer esse ardor no óleo deste Nome. Assim, semelhante ao óleo, o vosso nome, ó Maria, escrito ou pronunciado, ou somente imaginado, mantém, alenta, restaura, ilumina e alegra nossas vidas.

DESEJO À VOCÊ!

Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém ...