MENU TESTE

AVE MARIA

Ave-Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco Bendita sois vós entre as mulheres e Bendito é o Fruto do vosso ventre, Jesus Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós os pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

Páginas

OLÁ!


domingo, 1 de fevereiro de 2015

A SOBEDORIA DO SILÊNCIO

waves-205357_1280“Quem é atento à palavra encontra a felicidade” (Eclo 16,20)

Sócrates, o sábio filósofo grego, dizia que a eloquência é às vezes uma maneira de exaltar falsamente o que é pequeno e de diminuir o que é de fato grande. A palavra pode ser mal usada, mascarada e empregada para a dissimulação. É por isso que os sábios sempre ensinaram que só devemos falar alguma coisa “quando as nossas palavras forem mais valiosas que o nosso silêncio”. A razão é simples: nossas palavras têm poder para construir ou para destruir. Elas podem gerar a paz, a concórdia, o conforto, o consolo, mas podem também gerar ódio, ressentimento, angústia, tristeza e muito mais. “Mesmo o estulto , quando se cala, passa por sábio, por inteligente, aquele que fecha os lábios” (Pr 17,28).

O silêncio é valioso, sobretudo quando estamos em uma situação difícil, quando é preciso mais ouvir do que falar, mas pensar do que agir, mais meditar do que correr. Tanto a palavra quanto o silêncio revelam o nosso ser, a nossa alma, aquilo que vai dentro de nós. Jesus disse que “a boca fala daquilo que está cheio o coração” (Lc 6,45). Basta conversar por alguns minutos com uma pessoa que podemos conhecer o seu interior revelado em suas palavras; daí a importância de saber ouvir o outro com paciência para poder conhecer de verdade a sua alma. Sem isso corremos o risco de rotular rapidamente a pessoa com adjetivos negativos.

sábado, 31 de janeiro de 2015

O PODER QUE MARIA TEM SOBRE NÓS

Icone perpetuo socorroSão Luís Maria ensina que a Virgem Maria tem grande poder sobre nós.

São Luís Maria Grignion de Montfort, no “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, ensina que a Santíssima Virgem Maria recebeu de Deus um grande poder sobre nós (cf. TVD 37-38). Nossa Senhora recebeu de Deus um grande poder sobre as nossas almas, as almas de todos os eleitos, e sobre os nossos corpos. Mas, para que ela exerça esse grande poder sobre nós, sobre nossos corpos e nossas almas, há uma condição fundamental.

Nossa Senhora recebeu de Deus um grande poder sobre nós, sobre os corpos e as almas de todos os eleitos. Este poder está relacionado com aquele dado a Virgem de Nazaré sobre seu Filho Jesus Cristo, que lhe foi submisso durante toda a sua vida oculta (cf. Lc 2, 51). Por singularíssima graça, o Altíssimo deu a Virgem Maria poder sobre o seu Filho e também sobre nós, seus filhos, pois ela é nossa Mãe na ordem da graça (Constituição Dogmática Lumen Gentium, 61). Este poder concedido a Maria não foi somente sobre o nosso corpo, o que seria pouco considerando-se que em nós a alma é mais importante que o corpo. Mas, foi também concedido a ela poder sobre a nossa alma. Deus concedeu a Nossa Senhora poder sobre o nosso corpo, sobre as paixões e doenças corporais, e deu também a ela poder sobre as nossas almas, para fazê-las brilhar em santidade e fazer delas templos vivos do Espírito Santo.

PALAVRAS DO MAIOR EXORCISTA DO MUNDO SOBRE O ROSÁRIO!

Pe. Gabriele Amorth (Exocista de Roma)

Nossa Senhora, em Fátima, propõe o Rosário como antídoto ao ateísmo: o homem de hoje tem mais necessidade do que nunca de rezar e de meditar as grandes verdades reveladas.

Não é de admirar a insistência dos papas em recomendar esta oração: pensemos, por exemplo, nas doze Encíclicas sobre o Rosário de Leão XIII.

E não nos admiremos com o fato de que, nas Aparições de Lourdes e de Fátima, tenha sido dado tanto destaque a esta piedosa devoção mariana.

O Rosário, um tesouro a ser redescoberto

A história do Rosário tornou-se conhecida sobretudo depois da celebração do Ano do Rosário (de outubro de 2002 a outubro de 2003). Aqui queremos apresentar algumas reflexões que nos parecem particularmente atuais.

COMUNGAR E DEPOIS CONFESSAR?

Pergunta
Há pouco tempo, vivi uma situação na qual estava esperando para me confessar, e o padre, que tinha de celebrar a missa, nos pediu que fizéssemos um ato de contrição pelos pecados, recebêssemos a comunhão e depois nos confessássemos. Eu gostaria de saber se isso é lícito ou correto, porque é preciso estar em graça para comungar.


Resposta
Um preceito divino nos diz que não se pode comungar em estado de pecado mortal.
A Igreja, para cuidar da dignidade do sacramento da Eucaristia e da alma dos fiéis, impôs um preceito no Concílio de Trento: que ninguém comungue tendo consciência de haver cometido um pecado mortal, por mais contrito que estiver; é preciso confessar-se antes. Então, também há um preceito eclesiástico.
Mas há exceções? Sim, porque os preceitos eclesiásticos não obrigam quando existe uma dificuldade grave, séria e/ou excepcional.

MEDITANDO O PAI NOSSO

Pai_Nosso“A oração dominical (Pai-Nosso) é a mais perfeita das orações. Nela não só pedimos tudo quanto podemos desejar corretamente, mas ainda segundo a ordem em quem convém deseja-lo. De modo que esta oração, não só nos ensina a pedir, mas ordena também todos os nossos afetos”. (Santo Tomás de Aquino)

De pecadores que somos, mas perdoados em Cristo, podemos levantar os olhos para o Pai e dizer “Pai Nosso!” A “Oração perfeita” brotou do coração de Jesus quando um dos discípulos pediu-lhe que os ensinassem a rezar (Lc 11,1).

São pedidos perfeitos ao Pai. Saudamos a Deus como Pai – uma ousadia de amor – e lhe fazemos três pedidos para a Sua Glória e realização de Sua Santa Vontade, e mais quatro pedidos para nossas necessidades.

Santo Agostinho disse que o Pai-Nosso é a síntese do Evangelho: “Percorrei todas as orações que se encontram nas Escrituras, e eu não creio que possais encontrar nelas algo que não esteja incluído na Oração do Senhor.” De um lado Jesus nos ensina uma “vida nova”, por palavras, e por outro lado nos ensina a pedi-la ao Pai na oração, para a podermos viver.

É a oração dos filhos de Deus, que deve ser rezada com o coração, na intimidade com o Pai, para que se torne em nos “espirito e vida”; pois o Pai enviou aos nossos corações o Espirito do Seu Filho que clama em nós Abba, Pai. (Gl 4,6), e nos fez seus filhos adotivos em Jesus Cristo.

O QUE É MAIS IMPOSTANTE NA AMIZADE?

A amizade, cuja fonte é Deus, não se esgota nunca, dizem os santos.

Alguém disse que o amigo é algo especial que Deus inventou para cuidar da gente. A Palavra de Deus diz que “um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro” (Eclo 6, 14) .

Ora, tesouro é aquilo que nos enriquece. Então, o amigo é alguém que nos faz crescer, nos torna melhores.

Tive muitos amigos em toda a minha vida. Como as pessoas são diferentes! Graças a Deus, temos amigos de todo tipo: os engraçados, os intelectuais, os que nunca se animam, os que nos mimam, os originais, os que necessitam cuidados, os que são capazes de nos carregar seja qual for nosso estado de ânimo, os que sempre estão atentos, os que só mostram uma pequena parte do que são, os que sempre conseguem o que querem, os corajosos, os que sempre tem uma notícia ou uma novidade para contar, os que entram em casa a qualquer momento, os que nos fazem temer, os organizados, os “folgados” de sempre, os protetores, os de longe, os que não param de trabalhar, os que têm mania de grandeza, os que sempre estão enrolados em algo, os que são capazes de fazer qualquer coisa para evitar que passemos um mal momento, os que necessitam proteção, os brincalhões, os surpreendentes, os que nos fazem rir a qualquer preço, os que são tão ternos, os que sempre estão nos esperando… Quem busca um amigo sem defeito, fica sem amigo.

EVANGELHO DO DIA 31/01/2015

Sábado, 31 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: São João Bosco, presbítero; Santo Eusébio, religioso
Cor litúrgica: branco

Evangelho de hoje: São Marcos 4, 35-41

Primeira leitura: Hebreus 11, 1-2.8-19
Leitura da carta aos Hebreus:

Irmãos, 1A fé é um modo de já possuir o que ainda se espera, a convicção acerca de realidades que não se veem. 2Foi a fé que valeu aos antepassados um bom testemunho. 8Foi pela fé que Abraão obedeceu à ordem de partir para uma terra que devia receber como herança, e partiu, sem saber para onde ia. 9Foi pela fé que ele residiu como estrangeiro na terra prometida, morando em tendas com Isaac e Jacó, os coerdeiros da mesma promessa. 10Pois esperava a cidade alicerçada que tem Deus mesmo por arquiteto e construtor. 11Foi pela fé também que Sara, embora estéril e já de idade avançada, se tornou capaz de ter filhos, porque considerou fidedigno o autor da promessa. 12É por isso também que de um só homem, já marcado pela morte, nasceu a multidão “comparável às estrelas do céu e inumerável como a areia das praias do mar”. 13Todos estes morreram na fé. Não receberam a realização da promessa, mas a puderam ver e saudar de longe e se declararam estrangeiros e migrantes nesta terra. 14Os que falam assim demonstram que estão buscando uma pátria, 15e se se lembrassem daquela que deixaram, até teriam tempo de voltar para lá. 16Mas agora, eles desejam uma pátria melhor, isto é, a pátria celeste. Por isto, Deus não se envergonha deles, ao ser chamado o seu Deus. Pois preparou mesmo uma cidade para eles. 17Foi pela fé que Abraão, posto à prova, ofereceu Isaac; ele, o depositário da promessa, sacrificava o seu filho único, 18do qual havia sido dito: “É em Isaac que uma descendência levará o teu nome”. 19Ele estava convencido de que Deus tem poder até de ressuscitar os mortos, e assim recuperou o filho — o que é também um símbolo.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo Lc 1

— Fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos

R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

— para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam. Assim mostrou misericórdia a nossos pais, recordando a sua santa Aliança

R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

— E o juramento a Abraão, o nosso pai, de conceder-nos que, libertos do inimigo, a ele nós sirvamos sem temor em santidade e em justiça diante dele, enquanto perdurarem nossos dias.

R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 4, 35-41

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Deus o mundo tanto amou, que lhe deu seu próprio Filho, para que todo o que nele crer encontre vida eterna (Jo 3, 16)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

35Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos para a outra margem!” 36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava na barca. Havia ainda outras barcas com ele. 37Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. 38Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” 39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te!” O vento cessou e houve uma grande calmaria. 40Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” 41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?”

— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor

Comentário do dia por São Bonifácio (675-764)
Monge, missionário na Germânia, mártir
Carta a Cuthbert; PL 89, 765 (trad. Breviário, rev.)


«Porque sois tão medrosos?»

A Igreja é como um grande navio que navega pelo mar deste mundo. Sacudida pelas diversas ondas da adversidade nesta vida, não deve ser abandonada a si mesma, mas tem de ser governada. Na primitiva Igreja, temos o exemplo de Clemente e Cornélio e muitos outros na cidade de Roma, de Cipriano em Cartago, de Atanásio em Alexandria, os quais, sob o reinado dos imperadores pagãos, governaram a barca de Cristo – melhor, a sua diletíssima esposa, que é a Igreja – ensinando-a, defendendo-a, passando trabalhos e sofrimentos até ao derramamento do sangue.

Ao pensar nestas figuras e noutras semelhantes, estremeço de receio; o temor e o terror apoderam-se de mim e quase me submergem as trevas dos meus pecados (cf Sl 54,6); e muito me agradaria abandonar de todo o leme da Igreja, se encontrasse precedentes semelhantes nos Padres ou na Sagrada Escritura.

Mas sendo assim, e dado que a verdade pode ser contestada, mas não vencida […], a nossa alma fatigada refugia-se naquele que nos diz pela boca de Salomão: «Tem confiança no Senhor com todo o teu coração e não confies na tua prudência. Em todos os teus caminhos, pensa no Senhor e Ele dirigirá os teus passos» (Pr 3,5-6). […] Permaneçamos firmes na justiça e preparemos a nossa alma para a provação; suportemos a dilação de Deus e digamos-Lhe: «Senhor, Vós Vos tornastes o nosso refúgio de geração em geração» (Sl 89,1). Confiemos naquele que colocou sobre nós este fardo. Como o não podemos levar sozinhos, levemo-lo com o auxílio daquele que é omnipotente e nos diz: «O meu jugo é suave e a minha carga é leve» (Mt 11, 30).


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

A ARTE DE TORNAR POSSÍVEL O IMPOSSÍVEL

Em certas circunstâncias a vigência das normas claudica ao chocar-se com algo imprevisível. Chega o momento de "dar um jeitinho". Em que consiste, porém, esta forma tão singular de resolver situações complicadas?

Antonio Jakoš Ilija

Frequentemente nos deparamos, ao longo da vida, com a necessidade de resolver problemas complicados e imprevistos. E o meio de fazê-lo costuma ser personalíssimo, como é também, muitas vezes, a situação a enfrentar.

É quase infinita a variedade de soluções que cada indivíduo encontra para tais problemas, mas poderíamos classificá-las em função dos temperamentos nacionais. Assim, certos povos orientais, como os chineses e japoneses, terão um modo próprio de resolvê-los, geralmente de forma paciente e silenciosa. Um etíope ou um egípcio recorrerão a meios mais teatrais para atingir seu objetivo. E assim por diante, poderíamos mencionar saídas à la francesa, inglesa, italiana, portuguesa ou espanhola.

BENEFÍCIOS DO ROSÁRIO

Para nos animar ainda mais na prática desta devoção das grandes almas, São Luis Grignion acrescenta que o Rosário, recitado com a meditação dos Mistérios:

1) Eleva-nos insensivelmente ao conhecimento perfeito de Jesus Cristo;

2) Purifica as nossas almas do pecado;

3) Faz-nos vitoriosos contra todos os nossos inimigos;

4) Torna-nos fácil a prática das virtudes;

5) Abrasa-nos no amor de Jesus Cristo;

6) Enriquece-nos de graças e de méritos;

7) Fornece-nos com o que pagar todas as nossas dividas com Deus e com os homens;

8) Por fim, faz-nos obter de Deus toda especie de graças

Mas assegura, com o Beato Alano de la Roche, que o Rosário é  um manancial e depósito de toda espécie de bens:

“Os pecadores obtêm o perdão;
As almas sedentes saciam-se;
Os que choram encontram a alegria;
Os que são tentados, a tranquilidade;
Os pobres, socorridos;
Os religiosos, afervorados;
Os ignorantes, instruídos;
Os vivos vencem a vaidade, e as almas do purgatório encontram  alivio”.

Fonte: Salve Maria Imaculada!

NOSSA SENHORA DE LOURDES NÃO NOS ABANDONA NEM NAS PIORES SITUAÇÕES

Não é admissível supor que Nossa Senhora nos abandone, sobretudo quando os tempos estão muito complicados.
É preciso confiar de todo jeito. Quaisquer que sejam as dificuldades nesse tempo, Ela não nos abandonará.
Pelo contrário, nós seremos protegidos por Ela de modo inesperado, de modo milagroso se for preciso.
Nós devemos nos habituar a viver a vida prática com todo o espírito de Fé.
E, ao mesmo tempo, a conviver com a esperança do milagre como se fosse uma coisa que não é para de vez em quando acontecer. Porque a atmosfera de Lourdes nos ensina que o milagre é fato frequente de todos os dias.
É preciso conservar a calma motivada por essa crença no milagre.
Então é preciso conservar essa calma custe o que custar, para por esta forma nós ouvirmos a voz do Espírito Santo nas nossas almas.
Porque a voz da graça se faz ouvir na alma tranquila. Na alma agitada não se faz ouvir.
A alma tranquila pode estar sumamente aflita, mas não agitada. O exemplo arquiperfeito da alma tranquila, porém não agitada, era o Coração Sacratíssimo de Jesus durante a agonia no Horto.
Nosso Senhor tinha uma noção tão viva do que ia acontecer com Ele que, com a devida adoração, chegou a suar sangue, de pânico diante da dor que vinha.
Os médicos dizem que o fenômeno é conhecido cientificamente, que certas angústias muito grandes fazem a pessoa derramar sangue pela pele.
Tem lá uma explicação científica que eu entendi mais ou menos, mas que é admitida por todos os cientistas.
Mas Nosso Senhor não perdeu a calma. Pelo contrário, estava tranquilo, tudo quanto Ele disse era inteiramente lúcido, nenhuma vez se nota n’Ele um vaivém, mas uma coerência de atitudes verdadeiramente sobrenatural.
Segundo o Evangelho, Ele coepit pavere et taedere contristari et moestus esse (1. Marc. 14, 33. Mat. 26, 37.) – começou a ter tédio e pavor, e ficar triste, abatido, mas não agitado.
Daí veio o pedido filial, tranquilo, d’Ele ao Padre Eterno, que é parecido com o pedido que um Filho faz a uma muito boa Mãe.
Ele disse: “Pater, si fieri potest transeat a me cálix iste. – Meu Pai, se é possível afaste-se de mim este cálice” (Mat 26,11).
Primeiro com a linguagem da aflição, depois com a linguagem da força: “Mas faça-se a vossa vontade e não a minha”. Se quiserdes, livrai-me, mas se não quiserdes, matai-me. Vós e Eu ninguém separará.
Essa é ou não é a linguagem da tranquilidade?

Fonte: Lourdes e sua Aparições

DESEJO À VOCÊ!

Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém ...

VEJA TAMBÉM

2leep.com