MENU

AVE MARIA

Ave-Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco Bendita sois vós entre as mulheres e Bendito é o Fruto do vosso ventre, Jesus Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós os pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

Menu Deslizante

Páginas

OLÁ!

http://img1.picmix.com/output/pic/original/1/8/8/9/3899881_962d3.gif


domingo, 27 de setembro de 2015

PAPA CELEBRA MISSA DE DESPEDIDA NOS EUA APÓS ENCONTRAR VITÍMAS DE PEDOFILIA

Uma multidão lotava as ruas da Filadélfia para a missa, na qual eram aguardadas 1,5 milhão de pessoas de todas as partes do mundo

Papa Francisco

O papa Francisco iniciou, na tarde deste domingo, na Filadélfia (leste dos EUA), a celebração de uma missa multitudinária para encerrar sua visita aos Estados Unidos, após se reunir com vítimas de abusos sexuais praticados por padres católicos.

O sumo pontífice percorreu as ruas da cidade a bordo do papamóvel em meio a uma grande ovação de milhares de pessoas, até chegar ao palco gigante montado na avenida Benjamin Franklin Parkway, constatou a AFP.

Acompanhado de bispos americanos, o papa, de 78 anos, celebrou passadas as 16H00 locais (17H00 de Brasília) os primeiros ritos da cerimônia que encerra o VIII Encontro Mundial das Famílias, em uma tarde nublada e fresca.

Uma multidão lotava as ruas da Filadélfia para a missa, na qual eram aguardadas 1,5 milhão de pessoas de todas as partes do mundo.

“Queremos viver todo o clima com a multidão, com toda esta gente que está aqui pela mesma razão”, disse Rwan Oneill, um americano de 27 anos, acompanhado de uma amiga.

“Nunca vi tanto entusiasmo. Todo mundo está unido”, disse o guatemalteco Manuel Portillo, de 54 anos, que mora há 22 na Filadélfia.

Para Nicole, de 31 anos, disse “apreciar que Francisco tenha o espírito mais aberto que seus antecessores”, embora não se declare católica.

A missa fecha uma visita pontifical histórica de seis dias, que começou em Washington e passou por Nova York antes de terminar na Filadélfia.

“Deus chora”

Antes da missa, pela manhã, Francisco reuniu-se com vítimas de padres pedófilos, além de educadores e membros das suas famílias, e declarou que “Deus chora” por esses crimes, no último dia de sua passagem pelos Estados Unidos.

“Deus chora. Os crimes contra menores não podem ser mantidos em segredo por mais tempo”, afirmou Francisco, em reunião com bispos norte-americanos pela manhã, quando falou sobre o encontro com vítimas de pedofilia da Igreja.

“Eu me comprometo com a zelosa vigilância da Igreja para proteger os menores e prometo que os responsáveis vão responder por seus atos”, declarou o papa.

Francisco recebeu durante meia hora em um seminário três mulheres e dois homens, “vítimas de abusos sexuais cometidos por membros do clero, educadores e membros de suas famílias”, informou em um comunicado do Vaticano.

“Irmãos bispos, bom dia. Carrego gravado em meu coração essas histórias, o sofrimento e a dor dos menores que foram abusados sexualmente por sacerdotes”, afirmou o a Papa no início da reunião com os bispos, acrescentando que “aqueles que sofreram, tornaram-se verdadeiros heróis da misericórdia”.

A Filadélfia, cidade da costa oeste americana a meio caminho entre Washington e Nova York, foi uma das regiões mais atingidas nos Estados Unidos por este escândalo na década de 1980.

“O Papa escutou os testemunhos dos visitantes e lhes dirigiu algumas palavras, antes de falar com cada um individualmente”, informou o Vaticano.

Francisco já havia tratado o caso em várias ocasiões durante esta viagem, mas sempre de forma discreta.

Seu antecessor, Bento XVI, encontrou-se com vítimas da pedofilia em Boston, em 2008.

Visita a prisão

Após o encontro com as vítimas e sua apresentação diante dos bispos, o papa fez uma atividade que costuma integrar suas viagens oficiais: visitou a prisão de Curran-Fromhold, nos arredores da Filadélfia.

“Estou aqui como pastor mas sobretudo como irmão para compartilhar de sua situação e fazê-la minha também”, disse em discurso antes de cumprimentar com um aperto de mãos cada um dos detentos, sentados em filas numa grande sala.

Francisco chegou a trocar palavras com alguns deles e recebeu de presente uma cadeira fabricada pelos detentos.

Em sua mensagem em espanhol, disse que é “triste constatar que os sistemas prisionais não buscam curar as feridas, sanar as feridas, dar novas oportunidades”.

Esta décima viagem do primeiro papa das Américas começou em Cuba, onde pediu que o país continue no caminho da reconciliação.

Muito envolvido no restabelecimento do diálogo entre Havana e Washington, Francisco foi recebido muito calorosamente e pessoalmente pelo presidente Barack Obama no aeroporto e na Casa Branca.

Desde sua chegada a Washington, que também incluiu um discurso inédito na quinta-feira ante as duas casas do Congresso, Francisco despertou grande alegria, com multidões que o seguiram para todas as partes.

Tratado como uma estrela do rock, o Papa se manteve firme em seus princípios de humildade e proximidade com os setores mais vulneráveis, despertando a admiração de líderes de todas as classes políticas, da imprensa e até mesmo dos não-católicos.

Em Nova York, deixou uma forte mensagem na ONU contra a opressão financeira sobre o mundo em desenvolvimento e a favor da luta contra as mudanças climáticas, antes de visitar o Memorial do 11 de Setembro.

Paladino dos imigrantes

Para os milhões de imigrantes em situação irregular que vivem nos Estados Unidos, Francisco tornou-se um verdadeiro paladino, defendendo-os e pedindo respeito pela sua dignidade e identidade.

Filho de italianos, exortou-os no sábado a “não desanimar” e “nunca se envergonhar” em um discurso simbólico no local da declaração de independência dos Estados Unidos em 1776.

Através de exemplos históricos como Abraham Lincoln ou Martin Luther King, ele pediu aos americanos para lembrar os valores fundadores da nação.

Muitos imigrantes latino-americanos acreditam que o Papa mudou o rumo do debate sobre a reforma da imigração nos Estados Unidos, uma das pedras angulares da campanha presidencial de 2016.

“O Papa pode interceder para ajudar os imigrantes e parar as deportações”, disse à AFP Marta Dominguez, uma mexicana que vive em Norristown (32 km ao norte da Filadélfia) que esteva no Independence Hall.

Capaz de um diálogo franco, sem frases enigmáticas, também defendeu a família como a “fábrica de esperança”, em um discurso improvisado para uma multidão.

Com a sabedoria popular que provoca tanta admiração entre os seus seguidores, Francisco pediu para que as famílias superem suas dificuldades com paciência e amor e nunca terminem o dia “sem se reconciliar”.

(Com AFP)

Fonte: Aleteia

DESEJO À VOCÊ!

Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém ...