MENU

AVE MARIA

Ave-Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco Bendita sois vós entre as mulheres e Bendito é o Fruto do vosso ventre, Jesus Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós os pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

Menu Deslizante

Páginas

OLÁ!

http://img1.picmix.com/output/pic/original/1/8/8/9/3899881_962d3.gif


terça-feira, 17 de março de 2015

EXPRESSÃO DE AMOR A JESUS E AO PAPA

A Basílica do Sagrado Coração, de Montmartre

Cerca de 10 milhões de franceses fizeram em fins do século XIX o voto de construir, em Paris, um santuário dedicado ao Sagrado Coração de Jesus. Assim nasceu a monumental Basílica que acaba de completar 125 anos de Adoração Eucarística ininterrupta

Marcos Eduardo Melo dos Santos

No alto da colina de Montmartre, a poucos quilômetros da Catedral de Notre-Dame e do Palácio do Louvre, destacam-se em Paris a alva cúpula e a esguia torre de pedra da monumental Basílica construída em honra ao Sagrado Coração de Jesus.

Entre os dias 4 de junho de 2010 e 1º de julho de 2011, a Basílica do Sagrado Coração de Montmartre comemora, com um Ano Jubilar, os 125 anos de Adoração Eucarística ininterrupta

Imponente e estrategicamente situado, o altivo templo apresenta-se aos transeuntes como um dos mais salientes marcos da Cidade Luz. Mas, dos milhões de peregrinos e turistas que o visitam anualmente, quantos conhecem sua história e a riqueza de seu simbolismo? Menos ainda são os que - como fez o Beato João Paulo II em junho de 1980 - nele entram para um momento de oração diante do Santíssimo Sacramento, ali exposto noite e dia há 125 anos.

Quais acontecimentos deram origem à grandiosa Basílica?

De "Monte de Marte" a "Monte dos Mártires"

Para bem responder a esta pergunta, remontemo-nos à época galo- romana, quando a colina na qual ela se eleva era conhecida pelo nome de Mons Martis (Monte de Marte), por haver ali um templo dedicado ao deus da guerra. Nela ocorreu um importante fato da história dos primórdios do Cristianismo.

Narra São Gregório de Tours que em torno do ano 250 o Papa enviara sete missionários para evangelizar a Gália, entre eles São Dionísio.1 Estabelecendo-se às margens do Sena, na cidade então chamada de Lutécia, conseguiu ele formar uma comunidade cristã, da qual se tornou o primeiro Bispo. Corriam, entretanto, tempos de ódio e de perseguição aos cristãos. Denunciado às autoridades romanas, Dionísio foi decapitado no Monte de Marte, por volta do ano 270, juntamente com dois companheiros, o presbítero Rústico e o diácono Eleutério. Desde então, segundo consta, a colina passou a denominar-se Mons Martyrum (Monte dos Mártires), dando origem ao atual nome francês Montmartre.

Local de peregrinação

Devido à sua localização privilegiada, com uma bela vista da Cidade Luz e do rio Sena, a rainha Adelaide de Saboia, esposa do rei Luís VI, mandou edificar ali, no ano de 1133, uma igreja em honra do Príncipe dos Apóstolos e um mosteiro para monjas beneditinas. Após a morte do monarca, a própria rainha retirou-se para esse convento, que se tornaria mais tarde uma das mais importantes abadias da ordem na França.

Ao longo dos séculos, numerosos santos - como São Bernardo, Santa Joana d'Arc, São Vicente de Paulo - acorreram a essa colina em peregrinação. Pelas encostas de Montmartre subiram também sete homens robustecidos pelos Exercícios Espirituais que, atraídos pela bênção do lugar, desejavam emitir seus votos religiosos na cripta onde se supunha ter ocorrido o martírio de São Dionísio, da qual quase nada resta atualmente. Eram eles Santo Inácio de Loyola com seis discípulos seus. Ali se constituiu o primeiro núcleo da Companhia de Jesus, na festa da Assunção de 1534.

Outro grande marco da história do Monte dos Mártires deu-se em 1611, quando foram encontradas na cripta da capela do mosteiro das beneditinas inscrições indicando o exato local do martírio do santo Bispo Dionísio. A própria rainha Maria de Médicis quis comemorar essa descoberta, conduzindo toda a Corte em peregrinação ao local.

Vítima da Revolução Francesa

A Revolução Francesa truncou a multissecular história da abadia beneditina de Montmartre: em 1792, o prédio foi destruido e as religiosas dispersaram-se. Várias delas, entre as quais a última abadessa, Madre Maria Luisa de Montmorency--Laval, caíram vítimas da guilhotina.

O martírio de São Dionísio e seus companheiros deu origem ao nome "Montmartre"
"São Dionísio" - Catedral de Notre Dame, Paris

Num grotesco ritual realizado diante da urna contendo os restos mortais de Marat, a colina foi rebatizada com o nome de Mont-Marat. E um padre apóstata levou o ridículo, ao extremo, de comparar o coração do pretenso "amigo do povo" ao Sacratíssimo Coração de nosso Redentor...2

A instabilidade política pela qual passou a França depois da Revolução de 1789 prolongou-se por quase cem anos. E a situação mostrava-se especialmente grave em fins de 1870, após a pesada derrota sofrida pelo país na Guerra Franco-Prussiana.

Em março do ano seguinte eclodiu a Comuna de Paris, espalhando durante mais de dois meses o terror e a violência.

"Voto Nacional" para construção da Basílica

A graça de Deus, porém, tocou a fundo os corações dos franceses nesse cenário de tragédias e incertezas. Lembrando as revelações que Nosso Senhor fizera dois séculos antes a Santa Margarida Maria Alacoque, em várias cidades os fiéis faziam promessas ao Coração de Jesus, suplicando ao Divino Redentor a restauração da pátria e a libertação do Papa Pio IX, então prisioneiro no Vaticano.

Impulsionado pelo padre jesuíta Henry Ramière, um destacado leigo católico parisiense, Alexandre Félix Legentil, redige o esboço de um "Voto Nacional ao Sagrado Coração de Jesus para obter a libertação do Soberano Pontífice e a salvação da França". Impresso e distribuído ao público, em pouco tempo as folhas encheram-se de milhares de assinaturas. Prometiam os signatários, em concreto, colaborar para erigir em Paris um santuário dedicado ao Sagrado Coração de Jesus. Por sugestão do Arcebispo Dom Joseph-Hippolyte Guibert, escolheu-se para a construção o cume da colina de Montmartre.

Após meses de consultas, propostas e providências diversas, a Assembleia Nacional francesa aprovou em 24 de julho de 1873, por expressiva maioria - 382 votos a favor, 138 contra, 160 abstenções - o projeto que estipulava em seu artigo primeiro:
"Fica declarada de utilidade pública a construção de uma igreja na colina de Montmartre, de acordo com o requerimento feito pelo Arcebispo de Paris em sua carta de 5 de março de 1873, endereçada ao Ministro dos Cultos. Essa igreja, a ser construída exclusivamente com recursos provenientes de subscrições, será destinada perpetuamente ao exercício público do culto católico".3

Entusiástica adesão do povo fiel

Apesar da tremenda crise financeira na qual jazia a França do pós-guerra - além de outras dificuldades, as tropas prussianas vencedoras só sairiam do território francês após o pagamento de uma vultosa indenização -, o projeto de construção da nova basílica contou desde o início com entusiástica e generosa participação do povo fiel: desde simples operários até membros destacados do clero e do governo aderiram à iniciativa. No total, foram recolhidos mais de 46 milhões de francos.

Entre os quase 10 milhões de doadores, destacam-se o próprio Papa Pio IX, o qual fez uma oferta pessoal de 20 mil francos, e uma jovem de Lisieux chamada Teresa Martin, que enviou seu bracelete para ser fundido e usado na confecção do grande ostensório do Santíssimo Sacramento. Poucos anos depois, ela passou para a História com o nome de Santa Teresinha do Menino Jesus.

A pedra fundamental do novo templo foi colocada em 16 de junho de 1875; um ano mais tarde, celebrou-se a primeira Missa numa capela provisória. As obras avançaram com a rapidez possível num projeto de grande envergadura nas difíceis circunstâncias da época. A monumental igreja foi acabada em 1914.

Um grandioso mosaico na abside da Basílica testemunha o amor do povo francês por Cristo e seu Sacratíssimo Coração

No teto da abside contempla-se o maior mosaico do país, representando o Sagrado Coração de Jesus glorificado pela Igreja e pela França, chamado Cristo em Majestade. Em sua base, lê-se esta divisa em latim: Christo ejusque Sacratissimo Cordi Gallia poenitens et devota (A Cristo e a seu Sacratíssimo Coração, a França penitente e devotada).

Adoração Eucarística ininterrupta

Em 1885, iniciou-se na Basílica, ainda em construção, a Adoração Perpétua ao Santíssimo Sacramento. Desde então, graças ao fervor de adoradores anônimos, ela não se interrompeu sequer em momentos de grandes tragédias, como no dia em que as tropas alemãs invadiram Paris, em 1940, e na noite em que o edifício tremeu e os vitrais despencaram sob o impacto das bombas lançadas pela aviação de guerra anglo-americana, em 1944.

Muito se poderia escrever sobre os maravilhosos efeitos e os resultados concretos dessa ininterrupta adoração à Sagrada Eucaristia, mantida ao longo de 125 anos à custa de sacrifícios, não apenas pequenos, mas por vezes heroicos. Sintetizou-os bem o Bem-aventurado Papa João Paulo II ao afirmar que, graças a isso, a Basílica tornou-se "um dos centros de onde o amor e a graça do Senhor irradiam, misteriosa mas realmente, sobre a vossa cidade, sobre o vosso país e sobre o mundo redimido".4

Notas:

1 SÃO GREGORIO DE TOURS. Historia francorum. l.I c.30.
2 Cf. ROPS, Daniel. A Igreja das Revoluções. 1. Diante de novos destinos. São Paulo: Quadrante, 2003, t.VIII, p.57.
3 WEISS, Juan Baptista. Historia Universal. Barcelona: La Educación, 1933, t.XXIV, p.510.
4 BEATO JOÃO PAULO II. Discurso na Basílica do Sagrado Coração, em Paris, 1/6/1980.

Revista Arautos do Evangelho, Junho/2011, n. 114, p. 36 à 39

Fonte:  Arautos do Evangelho

DESEJO À VOCÊ!

Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém ...